16 de jun de 2011

Boa formação de professores é essencial para aprendizado bilíngue

Escolher uma escola para os filhos nem sempre é uma tarefa fácil. E quando a opção definida é uma escola bilíngue, a preocupação é ainda maior, pois existe o risco de deparar-se com profissionais despreparados para a tarefa. Para evitar que isso aconteça, é importante consultar a coordenação da escola e se informar quanto à formação dos professores.

Para a psicopedagoga Renata Cantini, professor bilíngue tem que ter, no mínimo, a formação em Pedagogia ou Letras e possuir, ao menos, um certificado internacional, como a especialização em Cambridge, por exemplo. “Vale lembrar, entretanto, que além da capacitação direcionada, o professor tem que ter o perfil adequado: precisa gostar de dar aulas e saber ensinar de forma contextualizada, ou seja, aulas mais dinâmicas e com o suporte da interdisciplinaridade”, afirma.

A pedagoga Herika Siqueira afirma que além de se preocupar com as especializações, a escola precisa preparar o profissional antes do início de suas atividades. “Quando o professor é admitido, a escola precisa oferecer um treinamento individual. A receita básica para um bom desenvolvimento das aulas é orientação e treinamento”, comenta.

Depois de contratado, é fundamental que o professor faça sempre cursos de aprimoramento e reciclagem e se mantenha alinhado à metodologia da escola. “Além de encontros quinzenais com a equipe para o planejamento, na escola onde leciono é feito um acompanhamento diário, com fichas de observação”, salienta Renata. Ela afirma que é dever da escola promover grupos de estudos e encontros de capacitação. “Além, é claro, de ser necessário que o professor faça esporadicamente cursos de pronúncia”, complementa.

Para a presidente da Oebi (Organização das Escolas Bilíngues de São Paulo), Ana Paula Mustafá Mariutti, o maior desafio enfrentado pelo professor não é manter-se atualizado ou atender às exigências de mercado, mas sim acreditar na educação bilíngue. “Comunicar-se em inglês é o que vai fazer com que a criança aprenda. Quando o professor desacredita e desiste de falar a língua achando que a criança não está aprendendo, ele está sabotando o aprendizado”, avalia.

Na sua opinião, a metodologia da escola conta tanto quanto a especialização do professor?

2 comentários:

  1. Marina Albuquerque28 de junho de 2011 11:55

    Realmente é fundamental que o professor seja bem capacitado. De outra forma, nada será aprendido pelo aluno. Gostei muito do blog. Exatamente o que eu procurava.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Marina, que bom que o blog está sendo útil para você. Continue nos acompanhando. Sempre teremos novos posts.

    ResponderExcluir

Caro internauta,

Os comentários aqui postados são moderados a critério do site, não sendo permitido posts com difamação, incitação à violência, preconceito e nem divulgação de links para conteúdo inapropriado.

Obrigado!