28 de jul de 2011

Bilinguismo amplia oportunidades de relacionamento

Duas vezes mais chances de fazer amigos, de ler, de brincar. Duas vezes mais chances de se relacionar. Crianças bilíngues são privilegiadas porque, entre outras coisas, têm mais possibilidades de interagir com o novo.

"Vivenciando o bilinguismo na escola, observo que principalmente as crianças entre quatro e cinco anos têm maior facilidade para se comunicar sem inibição com outras crianças e pessoas de nacionalidades diferentes, ampliando rapidamente seu círculo de amizades”, afirma Larissa Pereira Forti, professora bilíngue em Sorocaba (SP). Ela conta que sempre que a escola recebe algum estrangeiro na escola, seja como aluno ou visitante, as crianças aceitam o ‘outro’ e não mostram nenhum estranhamento. “Pelo contrário, muitas vezes tentam estabelecer um diálogo com aqueles que falam inglês ou ainda ensinar palavras em português”, acrescenta.

Estimular a criança a se arriscar cada vez mais no universo da nova língua é uma prática considerada importante. Motivada na escola, mais cedo ou mais tarde ela vai querer se comunicar com pessoas que falam o segundo idioma. Ao perceberem que no período da aula não devem falar a língua nativa, os alunos acabam se esforçando – cada um no seu ritmo - para adquirir o novo idioma.

Como ela percebe que funciona, passa a ampliar o vocabulário e as estruturas gramaticais. A criança começa a produzir frases mais complexas e ganha gosto em explorar essa outra possibilidade de comunicação. Ao ver que existe no mundo mais de um código falante e mais de uma maneira de interpretar o mundo, a criança perde o medo do interlocutor que não se expressa em sua língua natal.

Sem preconceitos
Essa predisposição para aceitar a novidade acaba funcionando como uma espécie de antídoto contra práticas preconceituosas, segundo Larissa: “Tenho um novo aluno cuja língua materna é o espanhol. Os coleguinhas da sala desde o início o ajudaram a inserir-se ao grupo, sem mostrar qualquer preconceito ou admiração. O fato dele falar ainda uma terceira língua não criou nenhum tipo de barreira em suas relações sociais em um ambiente bilíngue. Por isso, acredito que quanto mais nova a criança e mais cedo ela tiver contato com essa diversidade, mais tranquilamente ela saberá lidar e respeitar o diferente”.

Marianne Pesci de Matos, pedagoga e mestre em Linguística Aplicada pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), concorda que o bilinguismo ajuda a ampliar as possibilidades de comunicação. “O contato com outra língua e outra cultura na infância é positivo não só pela facilidade de assimilação, mas porque a criança vai crescer vendo o mundo menos etnocêntrica, mais diversificada e, consequentemente, mais tolerante e aberta ao 'novo' ao diferente”, argumenta.

Além da facilidade para se comunicar, quais outras vantagens você acredita que a criança tem ao aprender o segundo idioma?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caro internauta,

Os comentários aqui postados são moderados a critério do site, não sendo permitido posts com difamação, incitação à violência, preconceito e nem divulgação de links para conteúdo inapropriado.

Obrigado!