7 de jul de 2011

Mapa do tesouro para uma escola bilíngue

A decisão foi tomada: matricular o filho em uma escola bilíngue. Mas existe receita para não errar na escolha da instituição? Como ter garantias de que a criança vai receber de fato todos os benefícios desse sistema de educação? O primeiro – e crucial - ponto a ser observado é um item que costuma passar despercebido por ser tão óbvio: a escola precisa ser realmente bilíngue e não apenas se denominar como tal.

Teóricos do bilinguismo asseguram que educação bilíngue é uma forma de instrução planejada e ministrada em pelo menos duas línguas. Ou seja, a língua estrangeira não é ensinada apenas como matéria focal, mas também é utilizada para o ensino de conteúdos de diferentes áreas. No check list da escola ideal é preciso verificar como o currículo foi planejado. Entender, por exemplo, se os aspectos culturais das duas línguas são contemplados.

Em relação à alfabetização, Antonieta Megale, educadora e membro do grupo Grupo de Estudos sobre Educação Bilíngue da PUC/SP (GEEB), considera, entre os aspectos essenciais, o uso de materiais didáticos adequados e o desenvolvimento de habilidades dentro de um contexto onde a escrita e a leitura tenham sentido e façam parte da vida do aluno. “Além disso o professor deve ter não apenas conhecimentos pedagógicos e fluência no idioma no qual ensina, mas também compreender o significado de ser bilíngue, bicultural e biletrado”, ressalta.

Um corpo forte de professores e gestores. Esse é um dos requisitos que uma escola deve ter para que os pais acertem na escolha, segundo Gerald Macleod, vice-presidente global da rede de escolas Maple Bear.

Ele acredita que uma escola torna-se reconhecida quando as crianças aprendem e os resultados estão diretamente relacionados à qualidade do ensino, determinado por um bom currículo, que seja implementado por uma equipe guiada por lideranças capazes. “A reputação junto aos pais torna-se mais forte quando o programa de ensino é apoiado por todos na escola e quando tudo é comunicado aos pais dos alunos”, completa Macleod.

Você conhece a metodologia de ensino da escola onde seu filho estuda?

2 comentários:

  1. Daniel Marcelo Medeiros7 de julho de 2011 19:23

    Realmente é fundamental que a escola seja bilingue inclusive no conteúdo oferecido.

    Tem faculdade (faculdade, hein) que faz propaganda de ensino bilingue, mas trata-se apenas de mais uma disciplina. Duvido que alguém deixe o curso com o idioma aprendido.

    ResponderExcluir
  2. Daniel, obrigado pelo comentário.

    Também acreditamos que, independentemente do nível de ensino, é fundamental que os pais ou os interessados pelo ensino bilíngue estejam atentos à proposta pedagógica da escola. Além disso, a instituição deve contar com a ajuda de profissionais qualificados e aptos a ensinar em dois idiomas.

    ResponderExcluir

Caro internauta,

Os comentários aqui postados são moderados a critério do site, não sendo permitido posts com difamação, incitação à violência, preconceito e nem divulgação de links para conteúdo inapropriado.

Obrigado!