25 de ago de 2011

Aprendizado do segundo idioma na era do computador

Um levantamento feito em dez países com 2.200 mães de filhos entre dois e cinco anos de idade mostrou que 58% das crianças sabem jogar no computador, enquanto 20% nadam e 25% sabem andar de bicicleta. E mais: 69% delas sabem usar o mouse, mas apenas 11% sabem amarrar o tênis. Esses dados apresentados pela empresa de segurança digital AVG expressam o que os pais já intuíam e que basta observar qualquer criança diante do computador para ver: ela não se intimida, pelo contrário, tenta desvendar como a máquina funciona.

Essa imersão no mundo virtual trouxe mudanças à forma de construir o conhecimento. Segundo Walkyria Monte Mor, professora do departamento de Letras Modernas da USP e pesquisadora na área de novos letramentos e multiletramentos, antigamente as pessoas pensavam numa linguagem que era apenas oral ou escrita, mas hoje essas duas modalidades se articulam com outras, como imagem e som, por exemplo. A linguagem se expandiu e, com ela, as possibilidades de organizar o pensamento.

“A aprendizagem da língua estrangeira está inserida nesse novo jeito de construir o conhecimento. Se antes o aluno aprendia na escola de forma gradativa, do conteúdo mais fácil até chegar ao mais difícil, hoje ele pode aprender assim e também por outras vias. A leitura, por exemplo, que antes era feita no contato com textos escritos, agora pode ser também uma leitura de imagem, de grupos, de mundo. É o que acontece quando os jovens entram no Facebook.”

Internet aliada dos pais
E já que existe uma simpatia natural das crianças e dos adolescentes pelo computador, os pais podem aproveitá-la para incrementar a aprendizagem da segunda língua ensinada na escola. Em casa, eles seriam mediadores de atividades na web.

“Só é preciso tomar cuidado para não transformar o momento diante da tela do computador em algo desinteressante, como se o filho tivesse saído da escola doido para encontrar o pai e acabasse encontrando outro professor em casa. A interação precisa ser afetiva, lúdica, divertida. Se o único objetivo for melhorar o desempenho de língua, essa navegação que poderia ser prazerosa fica muito pesada e a criança vai acabar odiando a segunda língua”, alerta Denise Bértoli Braga, professora de Linguagem e Tecnologias do departamento de Linguística Aplicada da Unicamp.

Navegando com as crianças
À medida que as crianças avançam na escola bilíngue, as possibilidades de prática na internet também avançam. Para as crianças mais novas, Denise recomenda sites infantis com muitas imagens e áudio: “As que ainda não foram alfabetizadas podem ser expostas à língua por meio de músicas e para que elas não reproduzam sem entender nada, o adulto pode ajudar a dar o sentido ao que está sendo reproduzido. O pai deve observar se o filho está entendendo e é importante que participe ativamente na ação interagindo com a criança e cantando junto.”

Quanto aos sites que exploram desenhos associados a palavras, Denise dá uma dica para os pais. Ela orienta que, se a criança vê um balão vermelho no site e ouve uma voz dizendo “red”, ela pode até aprender aquela palavra, mas de uma forma isolada, fora de contexto. A construção do sentido virá se o pai começar a conversar com ela, na língua alvo, fazendo perguntas como “de qual cor você gosta mais?”. A conversa tem que ser divertida, uma brincadeira, e sem perceber a criança vai se apropriando da segunda língua. “Por isso é importante que o pai conheça o idioma, caso contrário, vai deixar de ser uma interação para virar uma verificação de conhecimento em que a criança tem que provar o que aprendeu na escola”, orienta.

Não custa lembrar que é preciso observar os sites que a criança visita para que não tenha acesso a conteúdos inadequados. Fora isso, basta evitar o excesso de tempo na frente do computador e se divertir junto com seu filho enquanto ele aprende. Para isso, preste bastante atenção ao tipo de assunto que mais interessa a ele. Sempre que há motivação a criança se esforça em construir sentidos a partir das informações verbais que recebe e esse é o processo mais eficaz de aprender línguas em geral.

A seguir, algumas sugestões de sites infantis para começar a descobrir o que prende a atenção do seu filho:

- www.funbrain.com - voltado para crianças falantes de língua inglesa com exercícios e jogos;
- www.britishmuseum.org – o site do museu britânico tem uma seção kids;
- www.ciudad17.com – site em espanhol onde a criança aprende cores, números, etc.
- www.poissonrouge.com - site com atividades de alfabetização em inglês, francês e espanhol;
- www.goethe.de/ins/jp/pro/goethe-haus - a página traz uma casa virtual em que tudo é dito em alemão;
- kindersay.com/englishwords/?gclid – cada palavra abre uma janela com gravuras e a pronúncia em inglês.

Como você participa das atividades que seu filho desenvolve enquanto ele navega na internet?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caro internauta,

Os comentários aqui postados são moderados a critério do site, não sendo permitido posts com difamação, incitação à violência, preconceito e nem divulgação de links para conteúdo inapropriado.

Obrigado!