1 de dez de 2011

Guia para os pais: como escolher a escola ideal

Para o desespero dos pais de primeira viagem, nenhum bebê vem com manual de instrução. As preocupações aparecem a partir do momento em que se descobre a gravidez: enxoval, fraldas, mamadeiras, papinhas, a primeira palavra, o engatinhar, os primeiros passos e, até mesmo, o primeiro tombo povoam a cabeça de pais e mães. 

O fato de a criança crescer não diminui as preocupações e os pais descobrem isso, verdadeiramente, quando chega o fatídico momento em que uma escolha essencial para o desenvolvimento do pequeno deve ser feita: a escola.

A pedagoga Christiane Faria diz que alguns fatores – como higiene, boas condições de materiais didáticos, espaço para brincar, cuidado do professor com o aluno, empatia com o ambiente escolar e histórico da instituição – são básicos para a escolha de qualquer tipo de escola. 

Segundo ela, é fundamental que os pais se sintam à vontade para deixar seus filhos naquele ambiente, considerando que eles ficarão por lá durante uma parte considerável do dia. “Esta escolha se dá mais pelas vontades e expectativas dos próprios pais do que pela vontade da criança, e é preciso ter paciência. Além disso, é válido lembrar que existem muitas escolas, com diferentes metodologias, conceitos e visões. Então, se a primeira escolha não for satisfatória, é possível mudar sem grandes crises”, afirma. Essa possibilidade faz com que todo ano muitos pais procurem um lugar adequado para matricular seus pequenos. 

Dois idiomas

Nem sempre, porém, a troca de escola ocorre por conta da insatisfação. Christiane aponta que há muitos casos de mães e pais que optam por colocar seus filhos em instituições de ensino com novas metodologias - e uma delas é a educação bilíngue.

Silvia Camargo, pedagoga, diz que, ao optar por uma escola bilíngue, os pais terão que dar atenção a alguns fatores nem sempre observados quando se analisa uma escola convencional. Para ela, em qualquer instituição, é muito importante a formação dos professores. Mas, quando se trata de ensino bilíngue, a relevância é ainda maior. “A escola tem que ter uma pedagogia com boa certificação da língua inglesa. Afinal, a criança terá que interagir e viver uma realidade naquele idioma. Esse é o fator de maior diferença entre uma escola bilíngue e outras instituições”, comenta.

A pedagoga dá mais algumas dicas e diz que é importante também observar o espaço físico e o contato que o pequeno terá com a língua inglesa. “Como a criança estará exposta ao idioma, é preciso que haja diferentes materiais que contribuam com esse processo de aprendizado”, conta. Itens como uma boa biblioteca, recheada de autores de ambos os idiomas, e ferramentas que auxiliem na aquisição de vocabulário, como jogos e cartazes explicativos nas paredes, são de grande importância.

Guia

Para facilitar a procura de pais e mães, a Maple Bear Canadian School – escola bilíngue certificada para os ensinos infantil e fundamental – disponibiliza um guia (que pode ser encontrado também on-line no link http://www.maplebear.com.br/guiadospais) com o objetivo de aconselhá-los e acompanhá-los nessa jornada de muitas opções e critérios a serem avaliados. 

Intitulado “Guia de Pais: escolhendo uma escola de educação infantil de qualidade”, o manual aponta a importância do padrão de qualidade da instituição e a observação do ambiente – incluindo não só a escola, mas educadores, diretores, coordenadores e o dia a dia dos alunos. “Esse guia é um manual de instruções sobre como encontrar uma escola ideal para as crianças, as qualidades e características que se deve buscar. Porque nós sempre procuramos a escola ideal para nossos filhos, e esse guia é um bom ajudante”, afirma Rosana Reis, coordenadora da Maple Bear Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caro internauta,

Os comentários aqui postados são moderados a critério do site, não sendo permitido posts com difamação, incitação à violência, preconceito e nem divulgação de links para conteúdo inapropriado.

Obrigado!