12 de jan de 2012

Videogame ajuda a aperfeiçoar outro idioma

Apesar de não ser a preferência de todos os jovens, o videogame é um bom passatempo para aproveitar o período de férias escolares. Mesmo que a criança passe algumas horas por dia na frente da televisão ou do computador jogando, não há muitos motivos para se preocupar. Pelo contrário: o videogame, nestes casos, é um importante aliado para melhorar a fluência do inglês.

Recentemente, um estudo da Universidade de Helsinque, na Finlândia, revelou que os estudantes finlandeses do ensino médio que jogam videogame com frequência têm um nível de inglês melhor do que aqueles que jogam pouco ou nunca. O estudo em questão analisou o rendimento acadêmico de 500 jovens do país e apontou que os que mais jogam têm melhores notas. Pela pesquisa, os estudantes que ficam pelo menos 15 horas por semana jogando têm uma nota média em inglês de 8,79 pontos, enquanto os que não jogam tiram 7,28 – de uma nota máxima de dez.

Para Nair Álvares Domingues Guimarães, professora de língua inglesa da União Metropolitana de Educação e Cultura (UNIME), os jogos são apresentados em contextos em que a língua é útil e significativa, principalmente para crianças e adolescentes. “Os jogos são ferramentas que desafiam e estimulam o aprendizado da língua, além de serem muito divertidos. Nas férias, os pais podem manter as crianças em contato com a língua estrangeira por meio de filmes, músicas, revistas em quadrinhos (temos até a Turma da Mônica em inglês), livros e, claro, jogos na internet ou videogames”, aconselha.

Além disso, a professora ressalta que alguns jogos são mais benéficos, pois envolvem a prática de habilidades linguísticas, como ler, ouvir e escrever. Em alguns jogos de aventura, por exemplo, a pessoa pode melhorar a compreensão auditiva, porque é possível ouvir os personagens falando em inglês.

Ela explica que essa é uma excelente oportunidade de aprendizagem, pois, geralmente, os diálogos em jogos são mais fáceis de entender do que os dos filmes, porque são mais lentos e claros. Além disso, a criança aprimora sua pronúncia e há a vantagem do jogador pausar e ouvir o diálogo novamente.

Ainda assim, a profissional aconselha cuidados em relação à atividade. Para Nair, os pais devem controlar não só o tempo que a criança passa em frente à tela, mas também a qualidade dos jogos. “Aconselho aos responsáveis pela criança ou adolescente jogarem primeiro para depois apresentarem o jogo aos jovens. Muitas vezes, os pais não gostam de videogame e deixam os filhos escolherem os jogos na internet. Contudo, todos nós sabemos que há jogos interativos em que pessoas do mundo inteiro participam, possibilitando o contato com pessoas estranhas”, aponta.

Como indicação, Nair recomenda o site do British Council, que traz diversos jogos apropriados para as crianças. Acesse: http://learnenglishkids.britishcouncil.org/en/games.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caro internauta,

Os comentários aqui postados são moderados a critério do site, não sendo permitido posts com difamação, incitação à violência, preconceito e nem divulgação de links para conteúdo inapropriado.

Obrigado!