4 de out de 2012

Profissão bilíngue: Turismo


O brasileiro é um dos povos que mais tem viajado nos últimos tempos por conta da estabilidade econômica e o aumento da renda no país. Por outro lado, o Brasil é também um dos lugares mais visitados por turistas estrangeiros, mesmo que essa não seja a principal fonte de renda do país. Mas o turismo, um dos setores que mais movimentam a economia mundial, é a principal fonte financeira de muitas cidades em todo o mundo.

A carreira dos chamados turismólogos nasceu junto com a mania de visitar lugares diferentes. Mariana Lagos, professora de Turismo da Faculdade Anhembi Morumbi, em São Paulo, conta que, até há pouco tempo, aqueles que escolhiam esta profissão eram vistos com maus olhos. “Turismo era considerando um curso para pessoas que não queriam trabalhar, apenas ficar viajando pelo mundo. As pessoas de fora não levavam esta carreira a sério”, diz.
Mas atuar na profissão não é assim tão simples. O turismólogo cuida de áreas complexas como planejamento, organização e divulgação de viagens e eventos, como jogos olímpicos, Copa do Mundo e outras realizações esportivas.

Na universidade, o estudante de turismo passa por aulas como marketing, administração, contabilidade, história, geografia e idiomas. Mariana conta que diferentes línguas são um diferencial extremamente importante na carreira de um profissional do turismo. “O turismólogo deve comunicar-se com pessoas de diferentes países na organização de um evento, por exemplo, e, na própria realização de atividades de lazer ou negócios, ele pode exercer a função de orientador, portanto, precisa saber indicar os melhores locais turísticos e pontos interessantes da cidade”, diz.

Algumas experiências como guia de turismo em parques da Disney ou em passeios turísticos em cidades como Londres e Nova Iorque são comuns e servem como estágio para muitos jovens que estão no começo da carreira. Não é nem preciso dizer que, de fato, o segundo idioma, nesta profissão, é fundamental. “Mesmo que o profissional for trabalhar em alguma cidade do Brasil, o contato com estrangeiros faz parte do dia a dia do turismo, com certeza”, ressalta Mariana.